Voz feminina na política: campanha incentiva participação de mulheres!

O incentivo para as mulheres terem mais participações nos ambientes de poder e decisão, especialmente nas eleições de 2022, levou a organização não-governamental #ElasnoPoder iniciar a campanha: Indique uma Mulher. Primordialmente, a campanha tem como objetivo de incentivar mulheres de todo o brasil a se engajarem na carreira política.

Entenda mais sobre a iniciativa para aumentar o engajamento das mulheres na política e todo o contexto que envolve o assunto.

Contexto histórico

Durante uma grande parte da história no Brasil, as mulheres não tiveram participação direta na política. Somente em 1934 foi assegurado as mulheres o direito ao voto e se candidatarem. Posteriormente, nas eleições municipais de 1928, Alzira Soriano foi eleita a primeira prefeita do Brasil.

O estado do Rio Grande do Norte foi o primeiro a garantir o voto das mulheres. Logo depois, em 1933, Carlota Pereira de Queiroz se tornou a primeira mulher eleita deputada federal, atuando na Assembleia Constituinte de 1933.

Contudo, a luta não parou, nas eleições de 1978, Eunice Michiles se consagrou a primeira senadora do país. Teve em seu mandato pautado no combate à desigualdade de gêneros.

A primeira Governadora brasileira foi Iolanda Fleming, que assumiu em 1986 o seu mandato, com a saída do titular.Por fim, apenas em 2010 tivemos nossa primeira Presidenta, Dilma Roussef.

Se observamos todo o contexto histórico, as mulheres tiveram uma pequena participação no cenário político-democrático brasileiro.Portanto, ações e campanhas de incentivo a imersão ao público feminino a política, pretendem mudar este cenário.

Engajamento feminino

Para transformar o panorama político atual, a ONG #ElasnoPoder lançou a campanha Indique uma Mulher. Em síntese, a ação vai sensibilizar, incentivar e mostrar a potencialidade das mulheres em todo território nacional, para ingressarem na política.

A falta de apoio dos partidos, a falta de financiamento, foi um dos principais motivos para a criação da campanha. A ONG aceita indicações de mulheres que pretendem ou tem vontade de entrar na carreira política.

A Isabela Rahal, coordenadora de Parcerias da ONG, realizou um levantamento e comentou: “Fizemos uma pesquisa com mulheres que já atuavam na política e das que responderam que não têm interesse em se candidatar, 40% delas falou que não faz isso porque acha que não têm perfil. Isso é super forte e mostra que as mulheres não se veem como líderes, mesmo que elas já sejam, que já trabalhem com política. E tem políticas que mostram que apoio social é muito importante para que elas virem a chave” explico Isabela.

A mobilização tem como objetivo encontrar mulher em todos os estados brasileiros, abordando as mulheres que nunca pensaram em seguir na política, tanto as que pretendem se candidatar na próxima eleição.

Caso você conheça alguma candidata para as próximas eleições, não perca tempo e avise ela para se cadastrar em nossa plataforma para arrecadar fundos para a sua campanha eleitoral.

Para ficar por dentro dessas e outras notícias, acesse nosso blog!